Noites na Cidade: Divagações de uma jornalista brasileira em Londres.

Divagações e devaneios de uma carioca em Avalon

Mon
29
Mar '10

Cervejando


Mood: Segundona (o dia da semana, piadistas de plantão)
Music: Head First, Goldfrapp

Sábado fui a um festival de cerveja relativamente local em Londres. No Brasil eles não são comuns, mas aqui na Inglaterra a Campaign for Real Ale (CAMRA), um grupo que promove as cervejas locais (ales, bitters e milds, entre outras – posso explicar as diferenças em outros posts se alguém se interessar!) em vez de lagers importadas tipo Heineken e Stella Artois, organiza regularmente estes eventos, grandes ou pequenos.

O festival da semana passada, Wandsworth Common Beer Festival, é relativamente pequeno, oferencendo cerca de 50 cervejas e 10 cidras diferentes de produtores ao redor do país. Provei no total umas 12 das cervejas disponíveis, entre as que eu bebi e as que o ruivo pediu, incluindo algumas semi-artesanais da cervejaria Art Brew em Dorset, da qual eu nunca tinha ouvido falar antes.

Festivais de cerveja são interessantíssimos por motivos antropológicos também. Obviamente a maioria dos visitantes são homens, e existe um grupo de cervejeiros hardcore que são facilmente identificáveis: normalmente barbudos ou cabeludos e sempre barrigudos, eles poderia ser motoqueiros se vestissem jaquetas de couro em vez de camisetas puídas de festivais antigos. Quando eu for ao Great British Beer Festival (o maior evento do tipo, que acontece todo ano em agosto), vou tirar fotos pra vocês terem uma idéia melhor. :)

Thu
10
Dec '09

‘Tis the season to be… drunk!


Mood: Festiva
Music: White Christmas, Twister Sister

Festas de Natal do trabalho são uma das tradições mais estranhas do Natal britânico pra mim. Basicamente, as tais festas são uma desculpa pro povo beber todas, perder a linha total e absolutamente, fazer e dizer coisas que jamais fariam ou diriam se estivessem sóbrios. A regra de ouro é: “What happens at the Christmas party stays at the Christmas party”, ou seja, o bundalelê é generalizado.

Normalmente, cônjuges/parceiros/outras metades não são convidados ou bem-vindos. O que obviamente significa que o número de pessoas corneando seus parceiros em festa de Natal ao redor das Ilhas Britânicas é fenomenal – e, bizarramente, considerado supernormal. Você tem uma quedinha por aquela secretária gostosa ou aquele técnico de TI esquisitinho? A festa de Natal é a solução para os seus problemas!

Hoje é a festa de Natal do meu escritório e estarei preparada – com minha máquina fotógrafica em mãos e sóbria – para registrar os momentos constrangedores proporcionados pelos meus colegas. Nunca se sabe quando uma foto comprometedora pode ser útil… ;-)

Thu
29
May '08

Dilema divertido


Mood: Festeira
Music: Another Code Against the Gone, 65daysofstatic

Este ano chego aos temidos 30 anos de idade, e resolvi que vou comemorar em grande estilo: farei uma festa à fantasia, e o tema é “30 Anos de Cinema” – amplo e abrangente. O que acabou provocando o dilema do título do post: de que diabos vou me fantasiar?

Estou contemplando algumas opções no momento, mas queria uma fantasia bem tchans, única e diferente. Algum dos leitores que ainda não abandonou este blog completamente (tal qual sua dona) tem sugestões? :-)

Tue
27
May '08

Despedida de solteira


Mood: Exótica
Music: Alice Pratice, Crystal Castles

Uma das coisas que aqui na Inglaterra é bem diferente do Brasil é a forma como os noivos comemoram o fim de seus dias de solteiro antes do casório. Em terras tupiniquins, os homens se acabam em festas, muitas vezes empregando os serviços de profissionais da noite, para dar adeus à “liberdade” em grande estilo. As moças, no entanto, geralmente se contentam com um chá de panelas light, onde amigas lhes dão presentes úteis para a vida de casada, como o nome do evento indica.

Já no Reino Unido, onde o machismo não é tão arraigado quanto no Brasil, mulheres têm direitos iguais. As hen nights (literalmente “noites da galinha”) são em geral tão extravagantes e regadas a álcool quanto os stag dos (as despedidas de solteiro daqui), e às vezes muito piores. Strippers, tirar fotos com homens estranhos na rua e pagar prendas embaraçosas fazem parte do ritual, que por essas bandas é seguido à risca.

No sábado fui à minha segunda hen night, em preparação para o casamento de amigos em julho quando o ruivo será padrinho. Apesar de discreto para os padrões normais do evento, a noite teve seus momentos: o restaurante onde jantamos provavelmente é cenário de diversas noites do gênero, e trouxe “presentes” para a noiva, incluindo um pepino em formato de pênis rodeado por dois tomates que a pobre moça teria que pôr na boca, ao que ela resistiu bravamente, partindo o pepino no meio (pobre noivo!). Depois, as convidadas terminaram a noite numa boate londrina, mas esta que vos escreve ainda estava sofrendo com o jet-lag de uma viagem para a Ásia e pulou esta parte.

Em comparação, os rapazes (dez deles) foram no sábado de manhã pra Cracóvia, na Polônia, onde passaram dois dias se esbaldando. O ponto alto do fim de semana, segundo minhas fontes, foi a oportunidade de visitar um campo de tiro onde rifles, pistolas e outras armas de fogo podiam ser usadas livremente. Sinceramente? Acho que as meninas não deixaram nada a dever aos mancebos…

Fri
14
Sep '07

Voltando aos poucos


Mood: Trabalhadora
Music: Army of Me, Björk

Hoje resolvi me rebelar e sair por alguns momentos do mar de trabalho em que estou me afogando pra postar aqui. Aliás, o emprego já está rendendo bem: além de ter o prazer de falar com pessoas em lugares obscuros como St Kitts & Nevis (uma ilha no Caribe, pra quem tiver interesse), os freebies têm agradado! Já ganhei um estoque considerável de maquiagem, alguns perfumes e até um relógio. Meus gastos com cosméticos vão diminuir absurdamente daqui por diante… :-)

Eventos marcantes desde meu último post incluem ter ido a um casamento (lindo e divertido – fotos em breve no Flickr), ter completado um ano de namoro (o que mereceria um post exclusivo), várias festas (inclusive meu aniversário), várias idas ao cinema, show dos Beastie Boys (excelente!) e Tudo Sobre Minha Mãe no teatro (mais excelente ainda!), entre outros. Hoje tem mais teatro, aliás – The Merchant of Venice no Shakespeare’s Globe. “A pound of your flesh!”

Semana que vem vou a Paris pela primeira vez. Pena que é a trabalho e não devo ter muito tempo pra explorar a Cidade das Luzes. Ainda assim, vou poder cortar mais uma coisa da minha lista;-)

Fri
24
Aug '07

Mais um ano de experiência


Mood: Aniversariante
Music: The Final Countdown, Europe

Tem anos que passam e a gente não sente; olha pra trás, pensa nas coisas que aconteceram e se pergunta: “O que aconteceu de notável este ano?” – sem encontrar uma resposta adequada. Hoje, meu vigésimo nono aniiversário, eu olho pra trás e a pergunta que me vem à cabeça é: “O que não mudou na minha vida de um ano pra cá?”

Estou namorando em vez de solteira. Mudei de emprego. Fiz novos amigos, e perdi contato com alguns amigos antigos. Refiz alianças e conquistei inimigos. O melhor de tudo, no entanto, é perceber que praticamente todas as mudanças foram pra melhor, e que, olhando pra o ano que passou, não me imagino fazendo nada diferente.

Se os próximos anos forem tão positivos quanto esse, mal posso esperar pelos 30! :-)

Tue
17
Jul '07

Até que a morte os separe


Mood: Solidária
Music: Aesthetic Anarchist, Skunk Anansie

Passei o fim de semana na cidade histórica de Bath, ainda que o motivo não tenha sido só expandir minha cultura: fui comemorar a ‘despedida de solteira’ (hen do para os locais) de uma amiga cujo casório acontece em agosto. Como era de se esperar em um país menos machista que o Brasil, na Inglaterra as noivas têm direito a um evento como o dos homens, com direito a noitadas, insinuações sexuais de todos os tipos e humilhações diversas.

O procedimento é bem diferente do nosso Chá de Panela: pra começar, os presentes que a noiva recebe não são pra casa, mas sim pra uso próprio. Além disso, o evento – que pode ser um fim de semana ou só uma noite na gandaia – normalmente inclui grandes quantidades de álcool e flertes. Hen do dentro de casa com as amigas? Jamais!

Bath é um local fofo, uma cidade pequena e cheia de detalhes interessantes, desde os famosos banhos romanos às muralhas medievais e arquitetura georgiana. Tirei algumas fotos perambulando pelas ruas de lá, mas acabei não tendo tempo de visitar nenhum dos locais turísticos – fiquei na cidade só por 24 horas, mas certamente pretendo voltar pra explorá-la com mais cuidado.

Aliás, Bath foi uma escolha curiosa (não é exatamente um lugar conhecido pela farra), e 25 mulheres fantasiadas (o tema era Las Vegas) andando por lá à noite certamente chamaram bastante atenção!

Wed
6
Dec '06

Lar, doce lar


Mood: De férias!
Music: Runaway, Jamiroquai

Apesar dos controladores de vôo, verificações de segurança e atrasos quase intermináveis, consegui chegar ao Rio no final da manhã de sábado. Meu vôo estava programado pra aterrissar no Galeão às 8.45 da manhã, mas só chegou mesmo depois das 11, e só fui chegar em casa ao meio-dia, pra alegria do Charlie (meu cão ancião, do alto de seus 14 anos).

Não tive muito tempo pra curtir a família, já que às 8 da noite eu teria que estar no Méier para o casamento de um dos meus melhores amigos daqui. Depois de fazer uma festinha, entregar presentes e dar uma relaxada, sobravam pouco mais de cinco horas pra ir ao cabeleireiro e dar um jeito na situação periclitante em que minhas mãos, pés e cabelos se encontravam.

No fim das contas, voltei pra casa às 6, a tempo de me vestir e fazer maquiagem com calma, jáque o táxi que minha mãe chamou estava marcado para as 7. Fizemos um pit-stop na Tijuca pra buscar meu irmão e minha cunhada, que eram padrinhos, e chegamos à igreja pouco antes das 8.

Pra nossa surpresa, a noiva do casamento anterior ao do meu amigo ainda nem tinha entrado! Não preciso dizer que o casamento dela foi vapt-vupt, e que o do meu amigo nem foi demorado também. Quando saímos da igreja, os padrinhos do casamento seguinte já estavam na porta esperando pra entrar – eram seis celebrações no mesmo dia!

A festa foi uma farra só: apesar da trilha sonora questionável (começou com Roupa Nova e terminou com funk, por culpa do “bom gosto” da noiva), a animação era enorme e curtimos à beça. Descobri que virei uma alcóolatra aqui graças às pints britânicas (tulipa desce que nem água!) e matei as saudades de um grupo mais do que querido de amigos. All in all, um dia e tanto.

De lá pra cá não fiz muita coisa, mas já gastei dinheiro comprando extravagâncias. Eu mereço, né? Aos amigos cariocas, entrem em contato! Já estou com celular local. ;-)

Fri
24
Nov '06

Vida longa ao Metal!


Mood: Ansiosa
Music: Running Up That Hill, Kate Bush

Ontem fui a um evento no mínimo curioso: era o lançamento de um jogo para o PS2 (Guitar Hero II, altamente recomendado) e, pra celebrar, foi realizado o funeral do air guitar – afinal, pra quem fingir que toca guitarra sem nada quando você pode fazer isso com uma réplica?

Os caras mandaram muito bem na produção. Montaram uma igreja num depósito abandonado, com direito a janelas góticas e um sermão do Reverendo Riff, que começou com a letra de “Heart-Shaped Box” e terminou com “The Final Countdown”. Teve ainda o hino “More Than A Felling” entoado pela congregação e um tributo de um sósia do Slash – simplesmente sensacional!

Se isso não fosse suficiente, ainda teve uma festa com comida e bebida liberados e shows de duas bandas excelentes: LunarMile e White Rose Movement. Eu não exagerei e acordei hoje numa boa, mas meus dois convidados estão de ressaca – sinal de que a noite foi boa. ;-)

PS: T-7 e contando! Em uma semana embarco para o Brasil. Mal posso esperar!

Tue
7
Nov '06

Curtas


Mood: Estressada
Music: Sweet Potato, Sia

Estou tão atarefada no trabalho que até somatizando o meu estresse eu estou. Sai desse corpo, coisa-ruim! Ainda bem que não falta muito até minhas férias de verdade começarem…

*****

Amanhã vou assistir ao badaladíssimo Borat no cinema, na quinta vou a um evento que promete e sexta de manhã embarco no Eurostar para Bruxelas. O melhor de tudo? A companhia, dele, sempre. A estafa vai embora só de pensar em tanta coisa boa. :-)

*****

Não sei por que ainda me espanto com a quantidade de gente que chega no meu blog procurando por peitos grandes em sites de busca. Tá, eles até estão no lugar certo, mas não acho que seja isso que eles queiram…

*****

As pessoas deveriam ser obrigadas por lei a ouvir o álbum Colour The Small One da Sia. É muito, muito, muito, muito bom. E ela é um barato, uma figuraça mesmo.

*****

O aquecimento aqui de casa não está funcionando. Até que nem está tão frio ainda (uns 8 graus no momento), mas levantar da cama de manhã é um sacrifício. Espero que consertem logo o bendito!

*****

O pai de uma amiga querida está bastante doente, e no fim de semana fiz uma coisa que não fazia há algum tempo: fui à igreja e acendi uma vela pra que ele se recupere. Deu saudades de ir com mais freqüência… vou tentar retomar esse hábito bom.

Tue
31
Oct '06

Vida de VIP é difícil…


Mood: Chefe
Music: Destiny, Zero 7

Depois de muito penar pra encontrar alguém que estivesse livre numa sexta-feira à noite (a última) pra ir a um show di grátis comigo, acabei indo sozinha. A apresentação em questão era a gravação ao vivo de um programa da Radio BBC 2, mas eu só sabia que haveria uma participação especial do cantor americano Josh Groban, que ficou famoso ao aparecer no episódio final da série Ally McBeal à tenra idade de 21 anos. Hoje com 25, Groban está lançando seu terceiro disco, o primeiro em que teve real liberdade de compor suas próprias músicas.

Depois de uma confusão com a pessoa com quem eu pegaria meu ingresso, finalmente consegui entrar no auditório do Mermaid Theatre, onde a gravação ocorreria. A idade média dos presentes, percebi com certa apreensão, devia estar na casa dos 60 – não era um bom sinal.

O motivo da presença de tanta gente de idade avançada era a apresentação da BBC Concert Orchestra. Os velhinhos fazem parte de um clube que vai a todos os concertos da orquestra – menos mal, já que adoro música clássica.

Fomos informados pelo apresentador que o primeiro bloco teria somente a orquestra, e o segundo contaria com a participação de Groban. A apresentação começou bem: o primeiro número foi nada menos do que a música-tema de Guerra nas Estrelas, composta pelo sempre espetacular John Williams. A nerd dentro de mim ficou toda contente, obviamente. ;-)

O show de Groban foi ótimo. Apesar de jovem (ele tem 25 anos), o cantor tem uma voz potente e límpida, e embora ele não arrisque muito – provavelmente pra não alienar as fãs – algumas das cancões do novo disco impressionam, em especial a excelente Machine, que no álbum conta com a participação de Herbie Hancock.

Mas o melhor ainda estava por vir: junto com o ingresso recebi um passe para a festinha VIP pós-show, que devia ter umas 50 pessoas no máximo, e a maioria trabalhava pra Warner ou pra BBC. Flanei pelo salão bebericando champã e batendo papo com os membros da banda – vida ruim, essa de jornalista… :-)

Voltei pra casa alegrinha, mais pelo efeito do álcool do que da noite em si. Só sei que durmi que foi uma beleza!

Em breve: Zero 7, a festa que não houve e Dia das Bruxas. Ah, e comentem! Estou sentindo falta de vocês. :-)

PS: Pra quem tiver curiosidade de ouvir o show acima, até quinta-feira agora ele estará disponível aqui.

Tue
10
Oct '06

Um mês em um post


Mood: Satisfeita
Music: Hyper Music, Muse

Tá, eu sei que estou devendo atualizações decentes e não necessariamente musicais há um tempão. Mas ando preocupada demais curtindo a vida pra descrevê-la por aqui, então peço perdão aos leitores do blog que andam sem notícias. As novidades são muitas e ótimas, e não vou poder mencionar todas; vou fazer uma pequena listinha das coisas que andei fazendo.

* Cinema: vi uma porção de filmes, alguns ótimos e outros nem tanto. A lista inclui, Clerks II, Black Dahlia, Severance, Brothers Of The Head, Click, A Scanner Darkly e Volver. Devo ter esquecido algum, como sempre, e em breve devo ver mais um catatau já que semana que vem começa o Festival de Cinema de Londres. Iupiiiiii!

* Teatro: fui ver um comediante irlandês ótimo, Dylan Moran, perto de casa, e semana passada me matei de rir assistindo a Spamalot, a excelente adaptação musical do clássico Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado. Teve direito até a sanduíches de spam sendo vendidos no intervalo, hehehe!

* Viagens: não fui a lugar nenhum desde Reading, mas vou a Bruxelas no mês que vem pra um fim de semana prolongado. E, é claro, em pouco mais de um mês estarei aportando em Terra Brasilis pra curtir longas e merecidas férias. Só não estou muito animada pelo calor que devo encarar por lá…

* Esporte: vi meu time daqui ganhar de um timeco sem-vegonha em Peterborough, no meio do nada, e no começo de novembro vou mais uma vez a um estádio, dessa vez aqui em Londres mesmo. Ah, e fui aos dois jogos da seleção brasileira aqui na capital inglesa: como civil contra a Argentina, e a trabalho na partida contra o País de Gales. Falei com o Ronaldinho Gaúcho, olha que chique! ;-)

* Gandaia: sempre, e cada vez melhor, agora que estou em ótima companhia. :-)

* Trabalho: meu chefe já está passeando pelos EUA mas a minha batata ainda não começou a assar. Se eu sumir de novo, no entanto, vocês já sabem o motivo! Brincadeiras à parte, a coisa deve esquentar por aqui mais pro fim do mês e novembro certamente vai ser pauleira. Ainda assim, estou curtindo as responsabilidades extras.

* Música: só fui a um show desde Reading, pra ver a banda de rock progressivo Porcupine Tree, e a apresentação deles foi sensacional. Eu tinha outro show hoje, mas ele foi adiado pra janeiro, mas vou a dois outros nas próximas duas semanas: Panic! At The Disco e Zero 7. Mal posso esperar!

De resto, hoje me despeço de uma das minhas housemates (a boazinha, Cara), que volta amanhã pra Austrália, mas a menina nova já se mudou então a casa andou cheia nas duas últimas semanas. Tenho passado ainda menos tempo do que de costume em casa, então não acho que a mudança vá me afetar profundamente.

Ufa! Não sei se vocês cansaram de ler, mas eu cansei de escrever. ;-)

Mon
4
Sep '06

Festivo 2006 e Reading, parte I


Mood: Cansada mas feliz
Music: Knights of Cydonia, Muse

O Festivo 2006 (pra quem não sabe, minha maratona anual de comemorações de aniversário) foi curto mas bem representado: por conta da minha ida ao Reading Festival, a s celebrações duraram apenas dois dias, só que a freqüência foi recorde. Na primeira festa foram 42 pessoas, sem contar esta que vos escreve, e ganhei vários presentes legais, além de tomar uns drinques verdes esquisitos mas gostosos. Já na segunda noite, no grande dia em si, devem ter aparecido umas 20 pessoas – não contei porque começaram a me dar shots de tequila depois que eu já tinha tomado quatro caipirinhas, e não preciso dizer como a festa acabou. :-)

Só quem já foi a um festival do porte de Reading tem idéia da loucura e vibração do negócio. São três dias de bagunça, com centenas de artistas se apresentando e outros eventos acontecendo numa área razoavelmente grande nas redondezas da cidade que dá nome ao bagulho. Vale um parêntese explicativo: Reading é um festival mais adolescente, onde a molecada de 15-16 anos vai pra acampar, encher a cara e fugir dos pais.

(more…)

Thu
24
Aug '06

Parabéns para mim!


Mood: Aniversariante
Music: Forever Lost, The Magic Numbers

Eeeeeeee! Meu aniversário! Adoro essa época do ano, e não só por causa dos presentes. É sempre legal receber o carinho das pessoas queridas, seja via email, telefone, Orkut, sinal de fumaça, pombo-correio ou pessoalmente. E agora tenho que mudar minha idade ali na barra lateral do blog. ;-)

A primeira comemoração do min-Festivo 2006 foi sucesso de público e crítica, com 41 convidados aparecendo para me dar os parabéns e encher a cara. Também ganhei um monte de coisas legais, de livros a ingressos de teatro. Bebi mais do que de costume, mas ou os drinques estavam diluídos ou meus genes alemães resolveram funcionar pra meu benefício, e mesmo depois de quatro coquetéis e quatro shots, esta que vos escreve terminou a noite sóbria e feliz.

Ah, e a odisséia pelos ingressos pro Reading Festival acabou bem – perdi três horas da minha vida, mas conseguimos pegar os bilhetes sem precisar viajar no tal ônibus. Nunca vi coisa mais desorganizada na vida!

Agora é terminar o bolo de chocolate que eu ganhei de uma amiga do trabalho (yummy!) e me preparar pros festejos desta noite… :-)  

Mon
21
Aug '06

Quase lá


Mood: Pré-aniversário
Music: Voodoo Child, Rogue Traders

Faltam três dias pro evento do ano – meu aniversário, claro! Mas este ano, o tradicional Festivo vai ser discreto. Ao invés da já clássica semana de comemorações, farei uma baguncinha light na quarta-feira, uma bagunça um pouco mais animada na quinta (o grande dia em si) e em seguida embarco para Reading pra um fim de semana de muito rock’n'roll no maior festival de música do Reino Unido (agora que Glastonbury não está mais rolando).

O problema é que a organização lusitana do festival resolveu complicar a coisa pro meu lado. Compramos ingressos que dão direito a um ônibus de ida e volta para Reading, só que pra pegar as entradas para o evento temos que pegar o tal ônibus – que sai às sete e meia da matina na quinta. Tudo o que eu queria fazer no meu aniversário era madrugar pra pegar os tais ingressos… :-P

Com sorte, podemos chegar lá, pegar as entradas e voltar pra casa. Na pior das hipóteses, temos que ir até Reading, pegar um trem de volta e viajar de novo pra lá na sexta. Tem como ser mais português?

Numa nota mais positiva, minha maré de sorte continua e ontem ganhei um jogo de tabuleiro chamado Aqua Romana num sorteio! Como toda boa nerd que se preza, adorei o presente de aniversário adiantado. ;-)

Thu
6
Jul '06

Enfim, Frankfurt!


Mood: Acalorada
Music: Sympathy For The Devil, Jane’s Addiction

Finalmente sobrou um tempinho pra escrever sobre nosso fim de semana guerreiro em Frankfurt! Como muita coisa aconteceu e eu iria demorar horas descrevendo tudo, vou me limitar aos tópicos mais importantes da viagem.

* Dormi um total de sete horas em duas noites. No fim das contas, foi bem melhor do que eu esperava, porque não tínhamos onde ficar na noite de sábado pra domingo, mas uma alma caridosa que conhecemos naquele dia graciosamente ofereceu pouco para os quatro cavaleiros do apocalipse. Danke sehr, Andi!

* O Brasil perdeu e os franceses eram muito chatos, mas mesmo assim a bagunça foi divertidíssima. Destaque para as quase 150 fotos que tirei (embora algumas tenham ficado de fora do Flickr), para as pérolas proferidas pelos membros de nosso grupo (que ganharão um post próprio em breve) e para nossos novos amigos alemães. :-)

* Frankfurt é uma cidade pequena – não tem 700.000 habitantes – mas é o centro financeiro da Alemanha (a Bolsa de Valores do país tem sede lá, todos os bancos têm uma presença e até o Banco Central europeu também fica por aquelas bandas). Ela foi quase completamente destruída na Segunda Guerra Mundial, então não sobrou muita coisa antiga. Mesmo assim, a cidade é um charme e superinteressante. Só andamos, obviamente, e vimos muita coisa pelo lado de fora, mas acho que voltarei pra explorar com mais calma quando tiver a chance.

* Antes do jogo do Brasil, subiu ao palco da Fan Fest (área pública para assistir aos jogos da Copa, à beira do rio Main) uma banda brasileira esquisitíssima – seis sujeitos em ternos amarelo-ovo cantando em playback – e eles nos brindaram com uma versão bizarra de Guantanamera, cujo refrão era “Carioca da Gema”. Juro que fiquei em estado de choque e não consegui reparar no resto da letra – foi muuuuuito estranho. Edit: graças a um comentário, descobri que se trata de nada menos que seis integrantes da seleção campeã do mundo em 1970, como vocês podem ver aqui (com direito aos ternos amarelos!).

* Até cerveja vagabunda é boa na Alemanha. E o sanduíche de lingüiça que comi na Fan Fest me lembrou demais as idas ao Alemão no caminho pra Petrópolis. Bateu uma saudaaaaade…

Resumindo: passamos um total de 31 horas em Frankfurt, e foi absurdamente legal. O saldo foi extremamente positivo, e nem a eliminação da Copa afetou nossa animação. Fizemos novos amigos, rimos à beça e até falei alemão! Quero voltar pra Alemanha em breve e praticar mais. :-)

Thu
22
Jun '06

Interlúdio musical


Mood: Velha
Music: Last Nite, The Strokes

O2 Wireless FestivalInterrompemos nossa programação futebolística normal para o primeiro de três informes extraordinários sobre o O2 Wireless Festival, orgia musical que acontece esta semana no Hyde Park. Ontem foi o primeiro dia do evento, que reúne artistas dos mais variados estilos em cinco dias de farra.

Cheguei ao parque cedo porque tirei meio dia de folga, e fiquei lendo e relaxando na grama enquanto via a fila para entrar crescer e crescer. Como sou adepta da tecnologia muderna, meu ingresso é um código de barras enviado em forma de mensagem de texto para o meu celular, e não pego a fila dos plebeus. Sweeeeet!

Quando meu amigo Angus chegou, entramos e fizemos um reconhecimento do terreno. Há várias opções de comida, bebida e entretenimento para o público, umas três áreas VIP diferentes e cinco arenas e palcos diferentes. Com tanta coisa acontecendo, tivemos que escolher com cuidado as bandas que realmente queríamos ver, e prosseguimos para o campo em frente ao palco principal para escolher um bom lugar.

Os trabalhos do dia foram abertos pela ‘girl band’ The Like, cuja característica mais impressionante era a empolgação da baterista. Depois de ouvir às músicas do grupo no MySpace, posso afirmar que elas soam melhor no álbum do que ao vivo. A apresentação em si nem foi ruim, mas a animação das outas duas integrantes do trio – e da platéia – era quase zero.

A apatia das meninas foi gloriosamente substituída pelas cores, sons e loucuras do grupo novaiorquino Gogol Bordello. Formada em sua maioria por imigrantes do Leste Europeu, a banda tem um estilo auto-definido como “punk cigano” e contagia desde o primeiro segundo. Eles fizeram o segundo melhor show da noite, e agora estou pensando como vou conseguir rebolar pra vê-los de novo em Reading.

Depois do divertido caos do bordel mais punk do planeta, quem subiu ao palco foram os ex-companheiros de Pete Doherty na banda The Libertines, agora atuando como Dirty Pretty Things. Ainda que eficiente, achei a apresentação deles meio burocrática, e não me empolguei muito. Tudo bem que eu não conhecia muita coisa da banda antes do show, mas não fiquei com muita vontade de conhecer mais epois de vê-los ao vivo.

Fugimos da muvuca do palco principal em direção ao Xfm Stage para assistir ao estilo particular da banda indie Guillemots, que mistura jazz, rock e pop em um pacote pra ouvir e dançar. O grupo multi-instrumental conta até com um guitarrista brasileiro e fez um show cheio de energia. Eles também vão tocar novamente em Reading, e mais uma vez eu gostaria de revê-los, mas sabe lá o que vai acontecer por lá!

Depois de uma pausa para abluções e bebidas, voltamos à área principal do evento para ver os escoceses do Belle & Sebastian em ação. Não nos arrependemos: o grupo arrebentou e fez o melhor show da noite, e me espantei ao perceber que eu conhecia a maioria das músicas apesar de não ser expert na banda. Todos os ingredientes para uma grande apresentação estavam lá: empolgação, empatia com a platéia, ótima música e uma vibe legal. Eles eu vejo de novo em Reading com certeza!

Pra fechar a noite, enfrentamos adolescentes drogados e muito empurra-empurra pra assistir ao quinteto novaiorquino The Strokes, mas felizmente o esforço valeu a pena. Apesar de mais curto do que eu esperava, o show foi vibrante, misturando “clássicos” (as aspas são pra ressaltar que a banda só existe há sete anos) e músicas novas. Os fãs de carteirinha, entre os quais eu não me incluo, pareciam satisfeitos, então quem sou eu pra reclamar!

A impressão que ficou no fim da noite é de que estou ficando velha pra essas coisas, porque não tenho mais paciência pra aturar gente pulando em cima de mim nem me empurrando pra passar onde estou por muito tempo. Ah, e porque a maioria das bandas que vi é composta por gente mais nova do que eu… ;-)

Tue
20
Jun '06

A caminho das eliminatórias


Mood: Atolada
Music: Get Me Away From Here I’m Dying, Belle and Sebastian

O Brasil conseguiu, ainda que com dificuldades, garantir sua vaga nas oitavas-de-final desta Copa. Não achei que a performance da equipe contra a Austrália tenha sido tão ruim quanto a maioria dos comentaristas pintou, e nem achei que os antipodeanos tenham jogado tãããããão bem assim. Foi um joguinho bem mais ou menos, melhor do que a estréia mas ainda longe das expectativas da torcida. O que importa é o placar, no entanto, e o Brasil conseguiu um convincente 2 a 0, precisando apenas de um empate contra o Japão pra assegurar o primeiro lugar no Grupo F.

A maior surpresa da competição até o momento foi a inglória derrota da ‘poderosa’ República Tcheca nas mãos dos estreantes de Gana. Os africanos provaram por que o mundo está prestando mais atenção no futebol daquele continente, jogando com alegria, disposição e, mais importante, pra ganhar. E a Itália decepcionou os apostadores ao empatar com o bom time dos EUA, num jogo marcado pela violência.

Nos outros grupos, os destaques foram a enfática goleada de 6 a 0 que a Argentina infligiu sobre a seleção de Sérvia e Montenegro, que limitou-se a assistir ao show de bola de nossos odiados vizinhos, e a aparente boa forma da Espanha, que sempre promete mas nunca cumpre em torneios de vulto. Será que dessa vez os espanhóis realmente fazem alguma coisa que preste?

Como nem tudo na vida é futebol mesmo em ano de Copa, na sexta saí com as meninas pra tomar sorvete e fofocar, o que continuei fazendo mais tarde com outras amigas em casa enquanto assistíamos aos dois Bridget Jones – mais mulézinha, impossível! E no sábado fui com amigos para mais uma de nossas intrépidas caminhadas, desta vez no Seven Sisters Park, um paraíso a beira-mar na costa de Sussex. Os cenários espetaculares renderam centenas de fotos, que em breve estarão publicadas no meu Flickr.

Agora vou ver como a Inglaterra se sai contra a Suécia, e curtir o belo Freddie Ljungberg em ação porque não sou de ferro. ;-)

Mon
5
Jun '06

Night and day


Mood: Primaveril
Music: Country Girl, Primal Scream

Só depois de morar em um país com as estações bem-definidas é que se nota o poder que o sol tem de mudar o humor das pessoas. O efeito do clima primaveril nos ingleses é impressionante: todo mundo fica alegre, simpático e vai pros parques tomar sol e curtir o dia.

Depois da festança de sexta, quando fui ao baile de formatura da minha antiga universidade pra ajudar (fotos no Flickr em breve!), acordei cedo no sábado pra ir a Kintbury, ponto de partida de nossa última caminhada pelo countryside britânico. O destino da vez era Combe Gibbet, um local interessante por vários motivos em Berkshire. A história do morro começa em 3500 AC, passa pelo ano de 1676 – quando uma estrutura onde criminosos enforcados eram pendurados para servir de exemplo ao povo foi construída – e hoje abriga praticantes de asa-delta e paragliding. O dia ensolarado e a deliciosa brisa contribuíram para um passeio sensacional.

Voltando a Londres, a maior parte do grupo (éramos dez pessoas originalmente) decidiu jantar numa steak house perto de Paddington, e lá fomos atendidos por um simpático garçom da Mongólia chamado Oddelger Khayankhyarvaa (pronunciado ‘rainkirava’). Ficamos um cinco minutos tentando aprender a falar o tal do nome, pra deleite do Otto (apelido do moço).

Depois de passar a manhã vendo chick flicks com a Dri, que dormiu lá em casa, fomos almoçar no Wagamama e de lá caminhamos para o Hyde Park para nossa sessão dominical de frisbee. Fui embora relativamente cedo, no entanto, pra assistir à reprise do amistoso da seleção brasileira contra a Nova Zelândia.

Minha análise do jogo: primeiro tempo fraco, relaxado demais, contra um adversário claramente inferior. Já o segundo tempo foi outra história: o time mostrou determinação, garra e habilidade de sobra, e não fosse pela ótima atuação do goleiro neozelandês, a partida teria terminado 8 a 0. Mas o que esperar de oponentes que jogam em equipes de futebol universitário nos EUA?

Thu
1
Jun '06

Curtas da semana


Mood: Livre
Music: Magic Touch, Clor

* Os dias são curtos mesmo quando se dorme cinco ou seis horas por noite. A impressão que tenho às vezes é de que nunca terei tempo suficiente pra fazer tudo o que quero/preciso. Será que um dia vou ter a sensação oposta, de que nunca vou ter o suficiente pra fazer com todo o tempo livre que tenho?

* Amanhã vou a um baile black tie, não é chique? Tem a ver com um fato que esqueci de relatar aqui: fui eleita para o comitê da associação dos ex-alunos da minha universidade aqui, e me ofereci pra ajudar com o baile de graduação, promovido pela associação. Só assim pra eu ter uma chance de usar as minhas roupas de madrinha!

* Passei o feriadão dessa semana em ótima companhia – na sexta, fui nerd até dizer chegar e joguei Starcraft até as quatro da manhã; no sábado, fui a uma festa de housewarming e ao Science Museum; domingo foi dia de parque e pub; e na segunda, me encontrei com amigas do mestrado que estão em Londres a passeio e depois fui jantar com outro grupo. Às vezes penso que não tem coisa melhor do que curtir os amigos, mas aí lembro que tem. Mas que é bom, isso é. :-)

* Por que fizeram o que fizeram no X-Men 3? Tá, é um filme legal, mas tinha que estuprar a história daquela maneira? Não dava pra ser minimamente fiel aos quadrinhos? Eu nem sou xiita, mas imagino que os fãs mais sérios não devem ter ficado nada felizes com o resultado final. Pelo menos a Kitty aparece e não faz feio!

* Estava vendo hoje o line-up dos festivais a que vou este verão, e fiquei superfeliz com o que vi. Tanto Reading quanto os três dias a que vou do O2 Wireless estão sensacionais. Tenho certeza de que eles valerão cada penny que eu paguei.
* Que venha a poderosa Nova Zelândia! ;-)

Tue
23
May '06

Dias intensos


Mood: Feliz
Music: No Way back, Freaks

Estou atolada de trabalho depois de alguns dias bem intensos, tanto no trabalho quanto na minha vida pessoal. Provavelmente não terei tempo de fazer um relato detalhado do que aconteceu, mas vamos aos pontos altos:

* Entrevistei o diretor de cinema Paul Greengrass
* Fui à Fabric di grátis e fiquei na área VIP
* Me viciei em Guitar Hero
* Lordi ganhou o Eurovision!
* Conheci pessoas interessantes
* Assisti a United 93 e Missão Impossível III

Agora vocês vão ter que me dar licença, o tronco me aguarda. ;-)

Tue
16
May '06

Eu vou, eu vou…


Mood: Animada
Music: Touch Me, The Doors

Copa do Mundo, aqui vou eu! Não, não consegui ingressos pra nenhum jogo, mas como estou aqui do lado, não pude deixar passar a oportunidade de curtir a atmosfera elétrica que um evento deste porte deve ter. Vou para Frankfurt no fim de semana das quartas-de-final e, se tudo correr bem, é lá que o Brasil vai jogar. Com sorte, dá pra comprar ingressos de gente que achou que sua seleção nacional fosse se classificar mas isso não aconteceu; na pior das hipóteses, vou pro meio da rua curtir a farra à brasileira. E mesmo que o Brasil não jogue por lá, conheço uma cidade que ainda não visitei.

Fri
12
May '06

Fim do update


Mood: Observadora
Music: Hope Once Again, Kansas

Acho que posso afirmar sem medo que o fim de semana passado foi o mais intenso que eu tive em termos de noitada desde que vim pra Londres. Começou com um jantarzinho delicioso sexta-feira no Banners, um restaurante com um quê de caribenho no norte da cidade. O lugar tem história: Bob Dylan era freqüentador assíduo, e uma das mesas tem uma plaquinha dizendo ser ‘o lugar’ do cantor/compositor. O ambiente é aconchegante, o serviço é ótimo e a comida é excepcional.

De lá, o grupo se separou e segui com a aniversariante, seu marido e sua irmã para a festa indie Kill All Hippies, onde alguns amigos brasileiros se encontraram conosco. Dançamos ao som das meninas do grupo The Pipettes, batemos papo e nos divertimos até a madrugada – cheguei em casa depois das quatro da manhã, e fui dormir com o nascer do sol.

Tínhamos programado um piquenique no Hyde Park pro sábado, e foi tudo ótimo até as três da tarde, quando começou a chover o suficiente pra todo mundo sair correndo em busca de abrigo. Decidimos esticar a bagunça na Toca dos Mongos (não perguntem!), e entre caipiroskas de morango, cantoria no violão e rodadas de truco e dudo, fiquei lá até as quatro, e mais uma vez fui dormir junto com a lua.

Vocês devem estar pensando: depois de dois dias de folia, o domingão foi dedicado ao descanso, certo? Errado! Voltei ao Hyde Park para mais uma tarde de frisbee, com direito a me auto-acertar a mim mesma com minhas próprias mãos, rolamentos na grama e sessão de massagem. De lá, a turma esfomeada caminhou até um restaurante oriental (mais pra tailandês, mas tinha de tudo) em Bayswater e se empanturrou de coisas gostosas.

Pra minha surpresa, na segunda eu não estava me sentindo um caco, ainda que estivesse sem voz de sábado, cheia de hematomas e galos do domingo e um pouco resfriada da chuva. Valeu a pena!

Edit: esqueci de dizer que gravamos um RadarPop novo na semana passada; quem não ouviu, vá lá e ouva! ;-)

Mon
8
May '06

Update rápido


Mood: Non-stop
Music: Frantic, Metallica

Tinha tempo que eu não ia dormir depois das cinco da manhã dois dias seguidos por causa de noitadas. Tenho que fazer isso com mais freqüência! :-)

P.S.: Daqui a pouco eu volto pra descrever minhas peripécias da última semana.

Wed
19
Apr '06

Enfim, Cornualha


Mood: Ainda em clima de feriado
Music: I Bet You Look Good On The Dancefloor, Arctic Monkeys

Demorei a escrever sobre minha viagem à Cornualha no feriado porque ela merecia algo mais do que um simples relato. Isto posto, não acho que eu seria capaz de fazer justiça aos inúmeros momentos de diversão que vivi entre sexta e segunda, especialmente porque um dos membros de nossa trupe é um contador de histórias muito mais competente do que eu. Para não deixar o feriadão passar em branco, relacionarei aqui alguns dos pontos altos da jornada – peço perdão desde já pelos impropérios e piadas internas, inevitáveis neste caso.

* Frase do fim de semana: “Forma de um falo de leite de gelo!”
* Presenciamos a criação de uma nova dupla sertaneja: Leonardo e Da Vinci
* As mulheres da Cornualha estão acima da média britânica
* Os restaurantes de St Ives têm um esquema lusitano de horários – falam pra você aparecer depois das 10, mas fecham antes das 10.30
* Medo das gaivotas assassinas, cuja primeira vítima foi uma aguardada Cornish Pasty!
* Pavor do morango displástico!
* Presenciamos um bundalelê feminino na boate mais vazia do mundo
* O que é o parque temático de Land’s End???
* Fizemos a festa com os ‘peixes nojentos’
* Tinha um grupo bizarro de crianças hippies musicais em St Michael’s Mount
* Impossível jogar poker com uma pessoa bêbada
* Vi uma foca nadando a uns 10 metros da praia!

Fazia tempo que eu não me divertia tanto! E pra facilitar a vida de vocês, basta clicar aqui pra ver as fotos. :-)

Mon
13
Mar '06

Eu gostcho!


Mood: Espevitada
Music: Face The Music, Conjure One feat. Tiff Lacey

Minha vida social é geralmente animada, mas como a de todo mundo ela também tem fases. E no momento estou passando por uma fase especialmente concorrida, com eventos diários ocupando rapidamente a minha semana. São aniversários, housewarming parties, visitas, datas comemorativas diversas (tipo St Patrick’s Day nesta sexta)… e para minha surpresa total, nem todos os eventos ocorrem na mesma noite! Acho que esse é o verdadeiro motivo do post. ;-)

Somando à agenda social o trabalho, as aulas de alemão e esgrima, eventuais idas ao cinema e outros eventos não pré-programados, não é de se espantar que eu tenha dormido cerca de quatro horas por noite nos últimos dias! Não que eu precise de muito mais do que isso, mas quatro horas é pouco até pra mim. Será que meu corpinho querido agüenta o tranco? Ainda bem que eu tenho momentos de ócio no metrô pra ler, senão não teria tempo pra isso.

Ingressos já comprados pra a temporada de shows deste verão: Live, Sisters of Mercy e três dias do O2 Wireless Festival, onde tocarão – entre outros – Depeche Mode, Massive Attack, Belle & Sebastian, Bauhaus. The Strokes, The Flaming Lips e Goldfrapp. E isto é apenas o começo; a próxima parada é Reading. Urrú!

Edit: esqueci de mencionar que estou figurando novamente no RadarPop da semana passada – ouvam lá!

Fri
28
Oct '05

Non-stop


Mood: Festaaaa!
Music: Ready To Go, Republica

Este fim de semana promete ser animado: muito em breve parto para o tradicional Guanabara, meu reduto de forrós dominicais e outros eventos sociais. O motivo da bagunça de hoje é a presença de Sérgio Machado e Alice Braga, respectivamente o diretor e a atriz principal de Cidade Baixa, filme tupiniquim que está passando no Festival de Cinema de Londres. Como qualquer coisa é desculpa para os meus amigos se reunirem, vamos fazer sala pros famosos.

Amanhã pretendo ir à sessão de imprensa de Elizabethtown e ao meio-dia vou à inauguração de uma loja na Oxford Street que é novo emprego da Aline. Não sei o que farei à noite ainda, mas é só uma questão de tempo. E domingo tem forró, claro, principalmente porque há três semanas não apareço por lá. Se eu não postar nada no fim de semana, não me levem a mal. ;-)

Mon
24
Oct '05

Momento Garfield


Mood: Odeio segunda-feira
Music: King Of The Mountain, Kate Bush

Sempre tenho ótimas idéias para posts quando estou longe da internet, mas meus insights brilhantes normalmente desaparecem da minha mente assim que tenho acesso a um computador. O pior é que ando sempre com papel e caneta à mão e poderia facilmente anotar os pensamentos que me ocorrem durante os momentos de relaxamento e as raras epifanias, mas por alguma razão obscura isso nunca acontece. Talvez seja a hora de começar…

O fim de semana foi agitado mas terminou de forma bem tranqüila. Na sexta fui a um bar em Covent Garden para a festa de aniversário/despedida temporária (três meses no Brasil – invejinha!) de uma amiga, com direito a uma saída estratégica no meio do caminho para assistir a No Tan Nuestras, um documentário argentino sobre um veterano da Guerra das Malvinas. Foi interessante ter um ponto de vista diferente sobre este conflito tão particular, próximo da nossa realidade mas ao mesmo tempo tão distante por conta da rivalidade entre nossos países. No filme fica claro o vasto abismo entre os exércitos argentino e britânico, mas também a humanidade que os torna semelhantes.

Sábado teve TV Pirata, almoço num pub à beira do rio (com direito a um pôr-do-sol deslumbrante!), teatro e mais uma festa – desta vez a inauguração para o público da Toca dos Mongos, nome carinhoso da casa nova de três amigos brasileiros. Tinha tempo que eu não bebia tanto quanto no sábado, mas até que meu metabolismo se comportou direitinho e nem fiquei de ressaca no domingo.

O que me assustou foi a semelhança macabra entre a peça a que assisti no sábado e os acontecimentos em Birmingham na mesma noite. Playing With Fire fala sobre política, diversidade e relações entre os ingleses “nativos” e imigrantes de vários lugares, especialmente da Ásia (Paquistão, Índia e Bangladesh) e do Caribe. Numa cidade fictícia do norte da Inglaterra, a inclusão de legislação e projetos de inclusão para melhorar a vida dos imigrantes acaba gerando fricção dentro da comunidade – os ingleses brancos não entendem por que os benefícios também não se aplicam a eles, e o conflito escala até gerar uma onda de crimes e brigas na rua.

Birmingham passou o fim de semana em estado de alerta por causa de um boato de que uma menina negra foi estuprada por um grupo de rapazes asiáticos. A bagunça começou no sábado à noite, quando gangues de jovens de ambos os lados se enfrentaram em diversos pontos da cidade, causando mais de 80 incidentes diferentes e uma morte. Mais confusão se seguiu no domingo, mas por sorte começou a chover pesadamente na região, o que parece ter desencorajado os baderneiros. Como sempre acontece, criminosos se aproveitaram da situação para saquear lojas e restaurantes.

Os protagonistas podem ter sido diferentes na peça e no mundo real, mas a fonte dos problemas é a mesma: racismo, intolerância e medo do que não é familiar. O rumor que gerou a confusão em Birmingham evidentemente foi só o estopim de uma crise que já existia. A questão da imigração é seríssima em toda a Europa, e na Inglaterra parece ser um pouco mais complexa porque os imigrantes vêm de lugares e culturas completamente distintos, formando um caldeirão muitas vezes em ebulição.

(Acabei de perceber que me empolguei e escrevi um testamento. Quem quiser saber mais sobre a situação de Birmingham pode visitar a página da BBC.)

P.S.: Obrigada pelas sugestões anti-ratos, meninas, mas não posso ter animais de estimação na minha casa (está no contrato de aluguel). Adoraria ter um gatinho se pudesse, já que não teria tempo pra cuidar de um cachorro, minha paixão de verdade. :-)

Tue
11
Oct '05

Madrid de mi corazón


Mood: Elétrica
Music: Golden Brown, The Stranglers

Comida à beça, noitadas animadas, amigos divertidos – este foi o saldo de meu fim de semana prolongado em Madri. Teve churrasco (duas vezes!), pub crawl em La Latina, “Do it! Do it!”, pouco sono e muita farra. Re-visitei o maravilhoso Parque del Retiro e peguei ônibus pela primeira vez (quando estive lá em 2003, só andamos de carro e metrô). É por essas e outras que adoro morar na Europa – duas horas de vôo e estou num país completamente diferente. E isso porque nem voei com uma das linhas aéreas baratex que tem por aqui porque estava com preguiça de me deslocar até Stansted…

Agora falta só ter tempo de transferir as fotos da máquina para o computador, editá-las e publicá-las no Fotolog. É mais difícil do que parece!

Fri
7
Oct '05

En Iberia


Mood: Ibérica
Music: A Mi Manera, Gypsy Kings

Estou escrevendo diretamente de Madri, onde estou confortavelmente (ainda que temporariamente apenas) instalada na casa da amida Debbie. Cheguei estar tarde e vim direto para cá, onde fui alimentada e bati papo com minha anfitriã. Agora estou relaxando um pouco porque, diferente de Londres, a noite aqui é como no Brasil – começa tarde e vai até de manhã. Tenho que recuperar minhas energias já que não estou mais acostumada com o ritmo latino de gandaia!

Não sei quando vou escrever novamente, então desejo um ótimo fim de semana para todos, e hasta pronto! :-)