Noites na Cidade: Divagações de uma jornalista brasileira em Londres.

Divagações e devaneios de uma carioca em Avalon

Fri
9
Jul '10

O polvo vidente


Mood: Avariada
Music: Didgeridoo, Aphex Twin

A melhor história desta Copa do Mundo bizarra, em que os resultados foram tão surpreendentes quanto a qualidade da arbitragem, é a saga do polvo Paul, que até agora acertou todas as suas previsões para o evento. Paul, que mora no aquário Sea Life, em Oberhausen, foi posto pra escolher o vencedor em todas as partidas da Alemanha no campeonato, e não errou um resultado.

O sucesso do polvo vidente foi tamanho que seus tratadores abriram uma exceção para a final entre Espanha e Holanda, e Paul previu que a equipe ibérica levará para casa seu primeiro título mundial. O molusco também disse que a Alemanha irá derrotar o Uruguai para terminar a Copa em terceiro lugar.

No domingo à noite saberemos se Paul estava certo até o fim. E mesmo que ele erre suas últimas previsões, o polvo terá sido o personagem mais interessante da Copa do Mundo de 2010. “A voz do polvo é a voz de Deus!” :-)

Fri
1
Jun '07

Mês agitado


Mood: Bem alimentada
Music: Mais Um, Onze

Junho mal começou e já posso dizer que tenho um mês agitado pela frente. Começando esta noite com o potencialmente mágico Brasil x Inglaterra no renovado estádio de Wembley e passando por shows, festivais de música e eventos sociais diversos, não acho que terei muito tempo livre nas próximas semanas.

Aliás, uma coisa que reparei desde que me mudei pra cá é que dificilmente consigo decidir o que vou fazer num determinado dia sem ser com antecedência. Por exemplo: este sábado eu tenho três festas pra ir, duas delas marcadas há pelo menos um mês. Sinto um pouco de falta da espontaneidade carioca, de ligar pros amigos às 9 da noite numa sexta e perguntar “Qual é a boa?”, sem pressão. 

Um dos complicadores é a antecedência com a qual você tem que comprar ingressos pra eventos. Os shows mais concorridos, bem como festivais e outros acontecimentos dignos de nota, têm ingressos esgotados em minutos. Hoje mesmo madruguei pra garantir minha presença no único show londrino dos Smashing Pumpkins, que eu adoro e vou perder em agosto agora que não vou mais ao Reading Festival (tenho um casamento no mesmo fim de semana). E isso porque eu comprei meu ingresso praquele festival no ano passado!

Em tempo: eu e bonitão completamos nove meses de namoro hoje, no mesmo dia do 40º aniversário do lançamento do seminal Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, aquele oitavo e mais badalado disco dos Besouros. :-)  

Wed
4
Apr '07

Atendendo a pedidos


Mood: Deadlines!
Music: Holding My Own, The Darkness

Hoje vou tentar responder a todos os questionamentos que foram colocados nos comentários do último post, à exceção do assunto bioetanol, que publicações mais sérias como a The Economist exploram muito melhor do que eu. ;-)

1. De onde vem a obsessão dos ingleses com a família real?
Ao contrário do que possa parecer, os membros da família real britânica não estão nas capas dos tablóides todos os dias – eles dividem a honra com jogadores de futebol, participantes de reality shows como Big Brother e ataques aos imigrantes. Mas o interesse causado pela realeza advém de uma mistura de fatores. Por exemplo, os príncipes William e Harry são especialmente queridos pelo público por serem filhos de Lady Diana Spencer, a “namoradinha da Inglaterra”. Existe uma catarse coletiva em relação à Diana, como se os ingleses se considerassem parcialmente responsáveis pela morte da princesa de Gales por comprarem os jornais que empregavam os paparazzi. Existe também uma parcela da população que acredita que a realeza já deu o que tinha que dar e chegou a hora de dar um pé na bunda da Rainha, mas até onde eu saiba não existe nenhum grupo organizado para este fim, ou se existe, ele não é lá muito popular. A verdade é que os britânicos têm um interesse quase doentio por pessoas ricas e famosas, o que leva à produção do que talvez seja o pior jornalismo do mundo – ao mesmo tempo em que a BBC e jornais como o The Guardian produzem um dos melhores, senão o melhor.

2. O que aconteceu com o RadarPop?
Pra quem não sabe, o RadarPop é um podcast sobre cultura pop produzido pela dupla Alexandre Maron e Cristiano Dias. Fui convidada a fazer algumas participações especiais no programa, inicialmente por conta da ausência de um dos apresentadores oficiais, mas minha presença nunca foi algo certo. Como o Alê trabalha à beça (e, convenhamos, é enrolado) e o Cris agora curte as maravilhas da paternidade, os meninos têm menos tempo pra cuidar do podcast, que exige várias horas de trabalho entre gravação, edição e publicação. Também me considero uma órfã do programa, mas quem sabe com um pouco de pressão popular não conseguimos fazer os rapazes tomarem vergonha na cara? :-)

3. Os Trapalhões e o Frisbee da Rainha
Tenho um grupo de amigos que tem por hábito jogar ultimate frisbee aos domingos no Hyde Park quando o tempo permite. Por razões óbvias, desde que comecei a namorar tenho participado muito pouco dos jogos, mas durante os anos acumulei uma quantidade espetacular de hematomas e ferimentos diversos causados pela prática do esporte. O mais grave que já aconteceu comigo foi perder uma unha do pé (yuck!) depois de ser pisoteada pelos mocinhos delicados que jogavam comigo, mas já houve casos de inocentes serem atingidos por frisbees perdidos, cabeçadas que resultaram em galos e alguns sangramentos. O resto das trapalhadas só serviu pra machucar o ego de uns e outros. ;-)

Quanto ao namorado, podem ter certeza de que o bonitão continuará a ser mencionado neste espaço, para deleite (ou desespero) dos caros leitores.

PS: Só tem uma coisa mais fofa do que o Knut no planeta: este vídeo aqui.

Wed
7
Feb '07

Pelada gelada


Mood: Decepcionada
Music: Karmacoma, Massive Attack

Ontem fui com um grupo grande de amigos, mais o namorado, ao Emirates Stadium pra assistir ao amistoso da seleção brasileira de futebol contra Portugal. Tirando alguns momentos do Brasil no primeiro tempo e os gols do time adversário no segundo, o jogo foi sonolento, chato até. Kaká não brilhou, e o talento de Ronaldinho e Robinho fizeram falta. Não sei se a culpa foi do frio (e que frio – brrrrr!), da camisa do Dunga (cruuuuuzes!) ou da falta de vontade dos jogadores, mas a verdade é que o programa só valeu pelos seguintes motivos:

* Ouvir o estádio inteiro vaiando o Cristiano Ronaldo toda vez que ele encostava na bola
* Ouvir o namorado (fofo!) cantando “Braaaasil, Braaaasil, Braaaasil” e “Ronaldo, vi*do!” com a gente
* Ver e participar das olas nas arquibancadas
* Entrar de novo no estádio, que é um espetáculo
* A troca amigável de provocações com os tugas

Esta noite, trocamos o programa esportivo por um cultural: eu e o bonitão vamos à Brixton Academy pra curtir um show do Massive Attack. Urru!

Tue
10
Oct '06

Um mês em um post


Mood: Satisfeita
Music: Hyper Music, Muse

Tá, eu sei que estou devendo atualizações decentes e não necessariamente musicais há um tempão. Mas ando preocupada demais curtindo a vida pra descrevê-la por aqui, então peço perdão aos leitores do blog que andam sem notícias. As novidades são muitas e ótimas, e não vou poder mencionar todas; vou fazer uma pequena listinha das coisas que andei fazendo.

* Cinema: vi uma porção de filmes, alguns ótimos e outros nem tanto. A lista inclui, Clerks II, Black Dahlia, Severance, Brothers Of The Head, Click, A Scanner Darkly e Volver. Devo ter esquecido algum, como sempre, e em breve devo ver mais um catatau já que semana que vem começa o Festival de Cinema de Londres. Iupiiiiii!

* Teatro: fui ver um comediante irlandês ótimo, Dylan Moran, perto de casa, e semana passada me matei de rir assistindo a Spamalot, a excelente adaptação musical do clássico Monty Python Em Busca do Cálice Sagrado. Teve direito até a sanduíches de spam sendo vendidos no intervalo, hehehe!

* Viagens: não fui a lugar nenhum desde Reading, mas vou a Bruxelas no mês que vem pra um fim de semana prolongado. E, é claro, em pouco mais de um mês estarei aportando em Terra Brasilis pra curtir longas e merecidas férias. Só não estou muito animada pelo calor que devo encarar por lá…

* Esporte: vi meu time daqui ganhar de um timeco sem-vegonha em Peterborough, no meio do nada, e no começo de novembro vou mais uma vez a um estádio, dessa vez aqui em Londres mesmo. Ah, e fui aos dois jogos da seleção brasileira aqui na capital inglesa: como civil contra a Argentina, e a trabalho na partida contra o País de Gales. Falei com o Ronaldinho Gaúcho, olha que chique! ;-)

* Gandaia: sempre, e cada vez melhor, agora que estou em ótima companhia. :-)

* Trabalho: meu chefe já está passeando pelos EUA mas a minha batata ainda não começou a assar. Se eu sumir de novo, no entanto, vocês já sabem o motivo! Brincadeiras à parte, a coisa deve esquentar por aqui mais pro fim do mês e novembro certamente vai ser pauleira. Ainda assim, estou curtindo as responsabilidades extras.

* Música: só fui a um show desde Reading, pra ver a banda de rock progressivo Porcupine Tree, e a apresentação deles foi sensacional. Eu tinha outro show hoje, mas ele foi adiado pra janeiro, mas vou a dois outros nas próximas duas semanas: Panic! At The Disco e Zero 7. Mal posso esperar!

De resto, hoje me despeço de uma das minhas housemates (a boazinha, Cara), que volta amanhã pra Austrália, mas a menina nova já se mudou então a casa andou cheia nas duas últimas semanas. Tenho passado ainda menos tempo do que de costume em casa, então não acho que a mudança vá me afetar profundamente.

Ufa! Não sei se vocês cansaram de ler, mas eu cansei de escrever. ;-)

Tue
11
Jul '06

Poucas e boas


Mood: Enigmática
Music: I Write Sins Not Tragedies, Panic! At The Disco

* Estou viciada em Panic! At The Disco. O disco de estréia da banda, A Fever You Can’t Sweat Out, é contagiante. Espero que eles sejam tão bons ao vivo quanto soam, porque vou vê-los em Reading. Urru!

* A Itália ganhou a Copa do Mundo, mas foi o Zidane quem dominou as notícias graças à sua cabeçada mágica. Tenho certeza de que o Materazzi deve ter falado barbaridades pro craque francês, mas isso não justifica o que ele fez. E não é nem porque ele atrapalhou as chances da França, mas porque agora esse jogador excepcional vai ser sempre lembrado como “o sujeito que foi expulso na final de 2006 por dar uma cabeçada num oponente” – Zidane merece mais do que isso.

* E o Brasil levou pra casa pela terceira vez o troféu de Fair Play da FIFA. O que impressiona são as estatísticas do zagueiro Lúcio: ele cometeu sua primeira falta no fatídico jogo contra a França. Tenho que tirar o chapéu pra ele – foi o jogador que mais evoluiu desde a Copa de 2002.

* Amaldiçôo o momento em que comprei meu PlayStation 2. Guitar Hero é uma praga viciante que inventaram pra tomar meu tempo, e não quero saber de mais nada – até os jogos novos que comprei no eBay chegarem, isto é. ;-)

* Esqueci de divulgar as últimas do RadarPop por aqui. Pra quem não sabe, é um podcast que eu faço junto com os amigos Cris Dias e Alex Maron; finalmente tomamos vergonha na cara e o bichinho voltou a ser semanal. Ouvam lá, é legal!

* Minha lista de 101 coisas completa seis meses no sábado, e já cumpri 23 das ‘tarefas’. Se continuar nesse ritmo, vai ser barbada! Ainda assim, toda ajuda é bem-vinda, então se você quiser me ajudar a completar algum dos meus objetivos, é só entrar em contato.

Thu
6
Jul '06

Enfim, Frankfurt!


Mood: Acalorada
Music: Sympathy For The Devil, Jane’s Addiction

Finalmente sobrou um tempinho pra escrever sobre nosso fim de semana guerreiro em Frankfurt! Como muita coisa aconteceu e eu iria demorar horas descrevendo tudo, vou me limitar aos tópicos mais importantes da viagem.

* Dormi um total de sete horas em duas noites. No fim das contas, foi bem melhor do que eu esperava, porque não tínhamos onde ficar na noite de sábado pra domingo, mas uma alma caridosa que conhecemos naquele dia graciosamente ofereceu pouco para os quatro cavaleiros do apocalipse. Danke sehr, Andi!

* O Brasil perdeu e os franceses eram muito chatos, mas mesmo assim a bagunça foi divertidíssima. Destaque para as quase 150 fotos que tirei (embora algumas tenham ficado de fora do Flickr), para as pérolas proferidas pelos membros de nosso grupo (que ganharão um post próprio em breve) e para nossos novos amigos alemães. :-)

* Frankfurt é uma cidade pequena – não tem 700.000 habitantes – mas é o centro financeiro da Alemanha (a Bolsa de Valores do país tem sede lá, todos os bancos têm uma presença e até o Banco Central europeu também fica por aquelas bandas). Ela foi quase completamente destruída na Segunda Guerra Mundial, então não sobrou muita coisa antiga. Mesmo assim, a cidade é um charme e superinteressante. Só andamos, obviamente, e vimos muita coisa pelo lado de fora, mas acho que voltarei pra explorar com mais calma quando tiver a chance.

* Antes do jogo do Brasil, subiu ao palco da Fan Fest (área pública para assistir aos jogos da Copa, à beira do rio Main) uma banda brasileira esquisitíssima – seis sujeitos em ternos amarelo-ovo cantando em playback – e eles nos brindaram com uma versão bizarra de Guantanamera, cujo refrão era “Carioca da Gema”. Juro que fiquei em estado de choque e não consegui reparar no resto da letra – foi muuuuuito estranho. Edit: graças a um comentário, descobri que se trata de nada menos que seis integrantes da seleção campeã do mundo em 1970, como vocês podem ver aqui (com direito aos ternos amarelos!).

* Até cerveja vagabunda é boa na Alemanha. E o sanduíche de lingüiça que comi na Fan Fest me lembrou demais as idas ao Alemão no caminho pra Petrópolis. Bateu uma saudaaaaade…

Resumindo: passamos um total de 31 horas em Frankfurt, e foi absurdamente legal. O saldo foi extremamente positivo, e nem a eliminação da Copa afetou nossa animação. Fizemos novos amigos, rimos à beça e até falei alemão! Quero voltar pra Alemanha em breve e praticar mais. :-)

Mon
3
Jul '06

Falta de vontade


Mood: Sonolenta
Music: Lilian, Depeche Mode

Apesar das poucas horas de sono, do esquema guerreiro e da derrota do Brasil, meu fim de semana em Frankfurt foi excepcional. Fiz novos amigos, me surpreendi com a bondade de estranhos, fiquei com raiva de alguns franceses, tirei centenas de fotos e aproveitei cada segundo. Depois farei uma descrição mais detalhada das 36 horas de farra (ou nem tanto), mas agora vou só falar sobre futebol.

Como já havia demonstrado em partidas anteriores, a seleção brasileira não parecia estar com muita vontade de levar o título pra casa. O time não jogou pra ganhar, e como diz a máxima popular, “quem não faz, leva”. Difícil de entender é por que eles não jogaram os 90 minutos com a garra dos 20 primeiros e dos cinco últimos. Começaram tão bem pra depois entregar o jogo e deixarem os franceses dominar a partida. Fico com pena de quem ainda acredita que não há interesses maiores em jogo numa competição como a Copa do Mundo, das crianças que tem um Ronaldinho ou Kaká como ídolo. Eles mereciam ver coisa melhor.

Ah sim: não posso deixar de reconhecer o talento de Zinedine Zidane, que, diferente dos velhotes do nosso time, mandou no jogo e deu olé atrás de olé nos brasileiros. Ele transbordava o que faltava nos nossos jogadores: vontade de ganhar. E, merecidamente, levou a França à vitória. Me resta torcer pela Alemanha, não tanto por causa das minhas raízes, mas porque vou ganhar dinheiro se eles levantarem o caneco. ;-)

Wed
28
Jun '06

Gana de vencer


Mood: Confiante
Music: Home, Depeche Mode

Apesar de meus leitores terem me abandonado e ninguém comentar mais por aqui, vou insistir nos meus informes inúteis sobre a Copa. Eu nem queria comentários mesmo, tá? :-(

O time de Gana era o último azarão da competição – apesar desta ser a primeira participação da Ucrânia, não acho que dê pra considerá-los uma zebra. E eles não fizeram feio, apesar de serem um bocado agressivos e reclamões, com um quê de Garoto Enxaqueca. O problema é que eles não tem um atacante que preste no time, ou se tiverem, ele resolveu não jogar ontem, pra nossa sorte. Apesar de criarem oportunidades, as finalizações dos ganenses foram terríveis, e nosso goleiraço Dida só teve trabalho mesmo umas duas vezes.

Quanto à atuação da seleção canarinho… Deu a impressão de que, depois de marcado o primeiro gol – um esforço brilhante do “Felômeno”, aliás – o time resolveu que não valia a pena gastar suas energias e deixou Gana brincar. Alguns, como Roberto Carlos, assistiam de camarote; outros, como Ronaldingo Gaúcho, erravam passes idiotas a torto e a direito. No fim, o placar refletiu apenas as vulnerabilidades dos africanos, e não a competência do time brasileiro.

Não vai dar pra brincar assim contra a França, mas que vai ser muito gostoso eliminar Zidane e companhia da Copa, isso vai. A vingança definitivamente é um prato que se come frio – no caso, com vinte anos de atraso, se considerarmos a eliminação em 86 como referência. E o melhor: minha confiança nos nossos rapazes foi recompensada e eles estarão jogando em Frankfurt quando eu estiver lá, no sábado. Urru! :-)

Sat
24
Jun '06

Japão desce pelo buraco


Mood: Musical
Music: Yoshimi Battles The Pink Robots Pt. 1, The Flaming Lips

Tá, eu sei que estou bem atrasada, mas não podia deixar de comentar o jogo que entrará para a história com o título “O Gorducho Contra-Ataca”. A enfática vitória contra o fraco time do Japão só serviu pra provar algo que a gente já sabia: precisava alguém meter um gol no Brasil pro time acordar e mostrar o que sabe nessa Copa.

Pra variar, o primeiro tempo não foi nenhuma Brastemp. O jogo estava nervoso, alguns jogadores cometiam erros bobos, mas pelo menos a equipe brasileira estava visivelmente mais ofensiva. O Japão ter marcado primeiro, aliás, foi um golpe de sorte para os nipônicos, porque aquele foi o único chute a gol dos nossos oponentes antes do intervalo.

O Brasil começou a segunda etapa com mais vontade, e como aconteceu quando o time da terra do sol nascente perdeu da Austrália, foi só eles levarem o primeiro gol que as porteiras se abriram. Só teve pro escrete canarinho depois disso, e o jogo poderia facilmente ter tido um placar mais elástico do que 4 a 1.

Destaque para o desencanto do gordinho mais amado/odiado do Brasil – Ronaldo marcou dois, movimentou-se infinitamente melhor do que nas partidas anteriores e, se ainda não voltou a ser a máquina mortífera de 2002, pelo menos vai assustar os zagueiros de Gana, nossos adversários nas oitavas-de-final. Aliás, o próximo jogo tem tudo pra ser um festival de futebol positivo, com os dois times partindo pro ataque.

Tue
20
Jun '06

A caminho das eliminatórias


Mood: Atolada
Music: Get Me Away From Here I’m Dying, Belle and Sebastian

O Brasil conseguiu, ainda que com dificuldades, garantir sua vaga nas oitavas-de-final desta Copa. Não achei que a performance da equipe contra a Austrália tenha sido tão ruim quanto a maioria dos comentaristas pintou, e nem achei que os antipodeanos tenham jogado tãããããão bem assim. Foi um joguinho bem mais ou menos, melhor do que a estréia mas ainda longe das expectativas da torcida. O que importa é o placar, no entanto, e o Brasil conseguiu um convincente 2 a 0, precisando apenas de um empate contra o Japão pra assegurar o primeiro lugar no Grupo F.

A maior surpresa da competição até o momento foi a inglória derrota da ‘poderosa’ República Tcheca nas mãos dos estreantes de Gana. Os africanos provaram por que o mundo está prestando mais atenção no futebol daquele continente, jogando com alegria, disposição e, mais importante, pra ganhar. E a Itália decepcionou os apostadores ao empatar com o bom time dos EUA, num jogo marcado pela violência.

Nos outros grupos, os destaques foram a enfática goleada de 6 a 0 que a Argentina infligiu sobre a seleção de Sérvia e Montenegro, que limitou-se a assistir ao show de bola de nossos odiados vizinhos, e a aparente boa forma da Espanha, que sempre promete mas nunca cumpre em torneios de vulto. Será que dessa vez os espanhóis realmente fazem alguma coisa que preste?

Como nem tudo na vida é futebol mesmo em ano de Copa, na sexta saí com as meninas pra tomar sorvete e fofocar, o que continuei fazendo mais tarde com outras amigas em casa enquanto assistíamos aos dois Bridget Jones – mais mulézinha, impossível! E no sábado fui com amigos para mais uma de nossas intrépidas caminhadas, desta vez no Seven Sisters Park, um paraíso a beira-mar na costa de Sussex. Os cenários espetaculares renderam centenas de fotos, que em breve estarão publicadas no meu Flickr.

Agora vou ver como a Inglaterra se sai contra a Suécia, e curtir o belo Freddie Ljungberg em ação porque não sou de ferro. ;-)

Wed
14
Jun '06

É, né?


Mood: Otimista
Music: Lightning Crashes, Live

Brazil 1 x 0 Croácia. O placar reflete mais a boa performance defensiva da Croácia – e algumas boas defesas do Dida – do que incompetência por parte da equipe brasileira. Não dá pra discutir que o Ronaldo não entrou em campo e passou todo o tempo em que ‘jogou’ com cara de que preferia estar em qualquer outro lugar. Também não dá pra negar que a atuação do Juan foi periclitante. Mas tirando algumas escorregadelas esperadas numa partida de estréia em Copa do Mundo, o resto do time jogou direito, e o mérito dos croatas em anular boa parte das jogadas do escrete canarinho não pode ser ignorado.

O melhor jogador do Brasil em campo foi sem dúvida nenhuma Kaká, que correu, atacou, defendeu e ainda marcou um golaço. Seguro e beeeeem menos marcado do que Ronaldinho, ele teve espaço pra armar jogadas, ainda que tenha tentado chutes de fora da área demais pro meu gosto. Mais uma vez, ponto para a Croácia – as tentativas à distância só aconteceram porque a defesa deles estava bem fechadinha, e os brasileiros não conseguiram penetrá-la eficientemente.

Tá, não foi o show de bola que todo mundo esperava, mas e daí? Ganhamos os três pontos contra um adversário eficiente e perigoso, e é isso que importa de verdade. Daqui pra frente a tendência é melhorar. Posso estar sendo otimista e até ingênua, mas não lembro de nenhuma Copa em que o Brasil começou arrasando e chegou a algum lugar…

Mudando de assunto, estou animadíssima porque vou ver esta noite o show de uma banda que adoro e nunca tive a oportunidade de ver ao vivo: o quarteto americano Live. A melhor notícia, na verdade, foi que o set é composto principalmente pelos antigos sucessos dos primeiros discos do grupo, os melhores. Mal posso esperar! :-)   

Tue
13
Jun '06

Brasil-sil-sil!


Mood: Sobrevivente
Music: The Living Daylights, A-Ha

Ficar doente nessa época do ano só tem uma vantagem: passei os últimos três dias assistindo ao futebol! Como eu previa, o México – comandado pelo excelente Rafael Marquez – fez bonito contra o Irã, enquanto os portugueses tiveram dificuldades pra superar o fraco time de Angola na outra partida do grupo.

As partidas que realmente interessam ao Brasil aconteceram ontem, no entanto. No primeiro jogo do grupo F, a Austrália contou com o talento de Tim Cahill (que joga no meu time daqui, Everton FC!) pra virar uma partida que parecia perdida contra o Japão, que não me impressionou. Como eu previa, os australianos – por não terem nada a perder – foram com tudo e se deram bem. A única coisa que me preocupa para o jogo de domingo, quando o Brasil enfrenta o os Socceroos, é que eles são bastante físicos e podem machucar algum dos nossos rapazes. No amistoso deles contra a Holanda, três jogadores da Laranja Mecânica saíram de campo em macas…

Já no Grupo E, de onde vai sair o adversário do Brasil nas oitavas-de-final, República Tcheca e Itália confirmaram o favoritismo ao derrotar respectivamente EUA e Gana. Eu esperava mais do time americano, mas a inocência da equipe africana era previsível. Aliás, o jogo dos tchecos contra a Azzurri promete ser um dos melhores da fase de classificação, e que deve decidir quem enfrentaremos na próxima etapa dessa Copa.

Estou contando as horas pra Brasil x Croácia, e sinceramente espero que a seleção canarinho faça o que todos esperam e ganhe esse jogo, em especial porque serei entrevistada pela BBC amanhã e vai ser difícil estar animada se isso não acontecer. :-)

Sat
10
Jun '06

Primeiras impressões


Mood: Gribada
Music: Da Da Da, Elastica

Como estou supergripada, passei o dia em casa e aproveitei pra assistir a todos os jogos do dia na Copa. Fiquei decepcionada com a performance da Inglaterra, que só conseguiu ganhar de um Paraguai fraquinho graças a um gol contra do Gamarra. O jogo, aliás, foi uma pelada de várzea, mas tenho certeza de que os jornais ingleses vão eudeusar os jogadores nas edições de domingo. Adorei a seleção de Trinidad & Tobago, que não tinham nada a perder e conseguiram um ótimo empate contra a Suécia em seu primeiro jogo em uma Copa do Mundo. E, pra variar, fiquei com raiva dos argentinos – não porque eles ganharam, até porque a Costa do Marfim não ofereceu lá muita resistência, mas porque eles roubam e catimbam demais.

A grande estrela do torneio até o momento é a bola: a adidas Teamgeist é mais leve e dá muito mais efeito do que qualquer bola usada até hoje em competições oficiais, e graças a ela a Alemanha marcou dois golaços em sua vitória de 4 a 2 sobre a Costa Rica ontem. Surpresa também foi a enfática derrota da Polônia por 2 a 0 nas mãos (pés?) do Equador, zebra total.

As partidas de amanhã prometem: algumas pela provável qualidade do futebol, outras pelo valor histórico na competição. Estou especialmente curiosa para ver a seleção do México em ação.

Fri
9
Jun '06

É hoje!


Mood: Futebolística
Music: A Taça do Mundo é Nossa, Copa de 58

Daqui a menos de uma hora a bola começa a rolar nos campos alemães, indicando o início do evento esportivo mais assistido do planeta. Adoro futebol, e a Copa do Mundo é o ápice deste esporte apaixonante que começou por essas bandas e conquistou gente de todos os países, culturas e religiões.

A seleção brasileira é a favorita para levar a taça permanentemente pra casa, e não é por falta de motivos. Atual campeã, a equipe canarinho tem o melhor jogador do mundo de acordo com a FIFA e jornalistas esportivos europeus, ganhou a Copa das Confederações no ano passado e ficou com o primeiro lugar das disputadas eliminatórias sul-americanas.

Acho que o Brasil tem todos os ingredientes pra vencer, incluindo superstições numerológicas. O que me preocupa é que a nossa seleção tem um histórico de perder quando é favorita (82 e 98, alguém?) – não acho que a fase de grupos apresentara grandes desafios, ainda que nenhum dos oponentes seja fácil, mas acho que o potencial para uma escorregada nos jogos eliminatórios é grande. Como diria o Rei do Futebol, o esporte é uma “caixinha de surpresas”, o que o torna tão emocionante, mas não dá pra prever o que vai acontecer.

Seja lá o que for que o próximo mês nos reserve, entretanto, torcerei como louca para o Brasil, assistirei ao máximo de jogos possível e passarei um fim de semana na Alemanha pra curtir a atmosfera do evento, que deve ser sensacional. E fiquem ligados neste espaço para meus comentários e relatórios sobre as partidas! ;-)

Mon
5
Jun '06

Night and day


Mood: Primaveril
Music: Country Girl, Primal Scream

Só depois de morar em um país com as estações bem-definidas é que se nota o poder que o sol tem de mudar o humor das pessoas. O efeito do clima primaveril nos ingleses é impressionante: todo mundo fica alegre, simpático e vai pros parques tomar sol e curtir o dia.

Depois da festança de sexta, quando fui ao baile de formatura da minha antiga universidade pra ajudar (fotos no Flickr em breve!), acordei cedo no sábado pra ir a Kintbury, ponto de partida de nossa última caminhada pelo countryside britânico. O destino da vez era Combe Gibbet, um local interessante por vários motivos em Berkshire. A história do morro começa em 3500 AC, passa pelo ano de 1676 – quando uma estrutura onde criminosos enforcados eram pendurados para servir de exemplo ao povo foi construída – e hoje abriga praticantes de asa-delta e paragliding. O dia ensolarado e a deliciosa brisa contribuíram para um passeio sensacional.

Voltando a Londres, a maior parte do grupo (éramos dez pessoas originalmente) decidiu jantar numa steak house perto de Paddington, e lá fomos atendidos por um simpático garçom da Mongólia chamado Oddelger Khayankhyarvaa (pronunciado ‘rainkirava’). Ficamos um cinco minutos tentando aprender a falar o tal do nome, pra deleite do Otto (apelido do moço).

Depois de passar a manhã vendo chick flicks com a Dri, que dormiu lá em casa, fomos almoçar no Wagamama e de lá caminhamos para o Hyde Park para nossa sessão dominical de frisbee. Fui embora relativamente cedo, no entanto, pra assistir à reprise do amistoso da seleção brasileira contra a Nova Zelândia.

Minha análise do jogo: primeiro tempo fraco, relaxado demais, contra um adversário claramente inferior. Já o segundo tempo foi outra história: o time mostrou determinação, garra e habilidade de sobra, e não fosse pela ótima atuação do goleiro neozelandês, a partida teria terminado 8 a 0. Mas o que esperar de oponentes que jogam em equipes de futebol universitário nos EUA?

Thu
1
Jun '06

Curtas da semana


Mood: Livre
Music: Magic Touch, Clor

* Os dias são curtos mesmo quando se dorme cinco ou seis horas por noite. A impressão que tenho às vezes é de que nunca terei tempo suficiente pra fazer tudo o que quero/preciso. Será que um dia vou ter a sensação oposta, de que nunca vou ter o suficiente pra fazer com todo o tempo livre que tenho?

* Amanhã vou a um baile black tie, não é chique? Tem a ver com um fato que esqueci de relatar aqui: fui eleita para o comitê da associação dos ex-alunos da minha universidade aqui, e me ofereci pra ajudar com o baile de graduação, promovido pela associação. Só assim pra eu ter uma chance de usar as minhas roupas de madrinha!

* Passei o feriadão dessa semana em ótima companhia – na sexta, fui nerd até dizer chegar e joguei Starcraft até as quatro da manhã; no sábado, fui a uma festa de housewarming e ao Science Museum; domingo foi dia de parque e pub; e na segunda, me encontrei com amigas do mestrado que estão em Londres a passeio e depois fui jantar com outro grupo. Às vezes penso que não tem coisa melhor do que curtir os amigos, mas aí lembro que tem. Mas que é bom, isso é. :-)

* Por que fizeram o que fizeram no X-Men 3? Tá, é um filme legal, mas tinha que estuprar a história daquela maneira? Não dava pra ser minimamente fiel aos quadrinhos? Eu nem sou xiita, mas imagino que os fãs mais sérios não devem ter ficado nada felizes com o resultado final. Pelo menos a Kitty aparece e não faz feio!

* Estava vendo hoje o line-up dos festivais a que vou este verão, e fiquei superfeliz com o que vi. Tanto Reading quanto os três dias a que vou do O2 Wireless estão sensacionais. Tenho certeza de que eles valerão cada penny que eu paguei.
* Que venha a poderosa Nova Zelândia! ;-)

Wed
31
May '06

Reta final


Mood: Esquentando os tamborins
Music: É Uma Partida de Futebol, Skank

Faltando pouco mais de uma semana para o início da Copa do Mundo 2006, assisti ontem ao amistoso entre a seleção brasileira e o FC Lucerna, time praticamente amador da Suíça. Era óbvio desde o início da partida que se tratava apenas de um treino glorificado contra oponentes anos-luz aquém do escrete canarinho, mas ainda assim foi interessante ver como anda o entrosamento da Seleção nesta reta final pro que interessa.

Tudo bem que houve uma certa displicência, especialmente por parte de Ronaldo “Fenônemo”, que insistia em tentar gracejos e firulas. Dava pra ver também que o Roberto Carlos tava com preguiça de correr atrás dos lançamentos do Ronaldinho. Isso tudo é compreensível e não preocupa. Mas pra mim o que fez valer a partida foi a excepcional performance de Kaká, que estava em todos os lugares ao mesmo tempo, e os gols espetaculares do Juninho Pernambucano e do Robinho. Aliás, de onde aquele moleque tirou a força pra lançar aquele foguete rumo à rede? Se eu fosse o goleiro, também teria saído da frente. ;-)

E sim, preparem-se pra váááááários posts sobre futebol quando o torneio finalmente começar. O blog faz aniversário este mês, e o primeiro assunto que abordei a fundo, quatro anos atrás, foi a Copa de 2002 no Japão. Sessão nostalgia total!

Mon
1
Jul '02

É peeeeeeenta!


Mood: PENTACAMPEÃO!!!
Music: “A Taça do Mundo é nossa…” (fui obrigada a repetir por razões óbvias!)

Eu poderia começar o post de hoje com “eu já sabia”, mas vocês poderiam pensar que sou pretensiosa. ;-)

Tá certo que o nível técnico desta Copa não foi dos melhores, e que boas seleções nos proporcionaram surpresas ruins, ao mesmo tempo que times teoricamente fracos demonstraram que não existe mais bobo no mundo do futebol. Nada disso, no entanto, diminui o mérito do escrete canarinho, aí incluído o técnico “Big Phil”, que entrou como franco-atirador no Mundial e saiu com a taça na mão. Todo mundo tenta, mas só o Brasil é penta… :-D

Não vou relacionar os destaques e decepções da partida como faço habitualmente – todo o time foi exemplar, e os alemães só não deram trabalho porque realmente não há jogadores de qualidade em sua seleção (o “melhor goleiro do mundo”, Oliver Kahn, ainda deve estar procurando as bolas que o Ronaldo colocou dentro de seu gol). Enfim, venceu o melhor! A única frustração que tenho é que eu podia ter ganho a maior grana apostando na seleção como campeã da Copa e no placar da final…

Depois de passar a madrugada com uma companhia espetacular e de ver o Brasil ser penta, como não considerar este o melhor dia do ano até agora? Má, nós somos pé quente! :-)

P.S.: Acho que nunca valorizei a paz das tardes sem jogos da seleção brasileira no Centro da cidade tanto… não vou sentir a menor falta daqueles corneteiros malditos e do hino nacional tocando sem parar naquele formato Midi podrão! Enfim, paz!

Thu
27
Jun '02

Quase lá


Mood: BRASIL!!!
Music: “A Taça do Mundo é nossa…”

Afe! Demorei, mas finalmente o Weblogger me permitiu postar novamente neste humilde espaço. É claro que o tema dessa vez é Copa do Mundo! Os críticos que me perdoem, mas achei este o melhor jogo da seleção até agora – aliás, nosso escrete canarinho melhora a cada partida, ganhando confiança e tomando conta do campo. Tá, vocês vão dizer que 1 x 0 é pouco, mas a Turquia não é um time fraco (pelo contrário!) e, pela quantidade de gols que perdemos e que o goleiro Rustu defendeu, era para o placar ter sido bem mais elástico.

Destaques:
* Cafu (sem dúvida, o melhor em campo)
* Roberto Carlos (atacou, defendeu e lutou até o fim)
* Marcos (fez belas defesas e estava seguro)
* Rivaldo (apesar da fome e do cansaço no final, jogou muito bem)
* Ronaldo (o cara fez o gol. Precisa mais?)
* Rustu (agarra muito!)
* Hakan Sas (muito habilidoso, ainda que esquentadinho demais)

Decepções:
* Luizão (alguém me explica o que diabos esta criatura está fazendo no Japão??? Até o Lúcio foi melhor que ele, aliás, bem melhor!)

Não tenho a menor dúvida de que levamos mais esse caneco para casa, porque a Alemanha não é um grande time e nem tem grandes jogadores. Claro, sempre pode ocorrer um cataclismo mundial, ou uma hecatombe nuclear, mas nas CNTP não perdemos nem de brincadeira. :-)

Tá bom de futebol, né? Pra uma mulher, eu até que falo demais nisso (e não citei nenhuma vez as coxas dos jogadores!!!). ;-)

Tue
25
Jun '02

Esportes favoritos


Em homenagem ao jogo de amanhã da Copa do Mundo, resolvi postar aqui um textinho do Veríssimo (um de meus autores favoritos, by the way) sobre dois de meus esportes preferidos! :-D

SEXO E FUTEBOL
(Luís Fernando Veríssimo)

No que se parecem: o sexo e o futebol?
No futebol, como no sexo, as pessoas suam ao mesmo tempo, avançam e recuam, quase sempre vão pelo meio, mas também caem para um lado ou para o outro, e às vezes há um deslocamento.

Nos dois é importantíssimo ter jogo de cintura.

No sexo, como no futebol, muitas vezes acontece um cotovelaço no olho sem querer, ou um desentendimento que acaba em expulsão. Aí um vai para o chuveiro mais cedo.

Dizem que a única diferença entre uma festa de amasso e a cobrança de um escanteio é que na grande área não tem música, porque o agarramento é o mesmo, e no escanteio também tem gente que fica quase sem roupa.

Também dizem que uma das diferenças entre o futebol e o sexo é a diferença entre a camiseta e a camisinha. Mas a camisinha, como a camiseta, também não distingue, ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.

No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no chão, cadencia e tem que ter uma explicação pronta na saída para o caso de não dar certo.

No futebol, como no sexo, tem gente que se benze antes de entrar e sempre sai ofegante.

No sexo, como no futebol, tem feijão com arroz, mas também tem o requintado, a firula e o lance de efeito. E, é claro, o lençol!

No sexo também tem gente que vai direto no calcanhar.

E tanto no sexo quanto no futebol o som que mais se ouve é aquele “uuu”.

No fim, sexo e futebol só são diferentes, mesmo, em duas coisas.

No futebol não se pode usar as mãos.

E o sexo, graças a Deus, não é organizado pela CBF.

Sat
22
Jun '02

Garfadas homéricas


Já conhecemos nosso adversário nas semifinais da Copa: será a Turquia, aquela mesma que enfrentamos em nossa estréia (parece que foi há um ano atrás!). A outra semifinal será entre Alemanha (que ganhou dos EUA, ligeiramente garfados) e Coréia (que ganhou da Espanha, descadaramente garfada). O único grande defeito desta Copa do Mundo são os árbitros, protagonistas de mancadas históricas, como os dois gols absolutamente legais da Espanha que foram anulados no jogo de hoje, e que teriam deixado a anfitriã Coréia fora das semifinais. Lamentável…

Momento superstição II: a última vez em que o Brasil jogou nas semifinais contra uma seleção que já havia enfrentado na primeira fase foi na Copa de 94 (o adversário era a Suécia). Não preciso lembrar o que aconteceu depois, né? Antes disso, na Copa de 62, a seleção brasileira enfrentou a Tchecoslováquia na primeira fase, e depois na final – e o resultado todo mundo sabe. Será mais um bom sinal? :-)

Fri
21
Jun '02

Derrotando o Império


BRASIL!!!

Esse jogo merece tirar o destaque de meu amado Leopold (qualquer coisa, depois eu coloco ele pra cima de novo!). A partida de agora há pouco serviu para confirmar duas coisas na minha cabeça:

* A seleção brasileira tem diversos ótimos jogadores, ao contrário da maioria das demais, que conta com um ou dois talentos; e
* A Inglaterra não é lá essas coisas (e o Beckham mostrou mais cabelo do que futebol).

Destaques da partida:
* Rivaldo (como sempre, desequilibrou o jogo)
* Kleberson (seguro, versátil e competente)
* Roberto Carlos (fez tudo certinho, sem tirar nem pôr)
* Edmilson (fez um ótimo jogo, cobrindo bem o meio de campo depois da expulsão do R. Gaúcho)

Decepções:
* Lúcio (mas nem precisava falar, né?)
* Beckham (não fez por merecer a fama que tem – deu uma de Figo)
* Torcida no estádio (pô, os caras ficaram quietos o jogo todo!)

Quero ver alguém falar agora aquela bobagem de “venceu mas não convenceu”. O time teve talento, garra, habilidade e sangue-frio para segurar a fome dos ingleses durante os 35 minutos em que esteve com 10 em campo. Que venha o próximo adversário!

Thu
20
Jun '02

SUDERJ informa


Mood: Jogo do Brasil contra a Inglaterra
Music: We Are The Champions, Queen

Hoje tem jogo decisivo da nossa seleção, e, como não podia deixar de ser, o Serviço de Utilidade Pública Nicole traz todas as dicas para quem não quer assistir ao jogo em casa! Aqui vão minhas sugestões:

* Lord Jim Pub – tem coisa melhor que secar os ingleses dentro de casa? O Lord Jim, além de ter um clima superlegal, oferece cervejas importadas de toda espécie, e é bem freqüentado.
* Cine Odeon BR – por R$5, você assiste a diversos Canal 100 sobre as copas de 58, 62 e 70, assiste a Brasil x Inglaterra naquele telão absurdo, e ainda ganha um boate das 23hs às 2hs! Show de bola!
* Sister Moon Club – apesar do clima “Um Drink no Inferno”, a SM dará camisetas exclusivas para os 30 primeiros pagantes, e todo mundo ganha um drink especial “God Save the King” (o Brasil, rei do futebol, claro!)

Infelizmente, só posso dar dicas para os cariocas, mas tenho certeza que meus amigos interurbanos vão saber o que fazer! :-)

Tue
18
Jun '02

Divagações futebolísticas


Acho que estou ficando gripada… Passei os últimos dias com fortes dores de cabeça, dores pelo corpo e muito, muito cansada. E isso depois de um final de semana de descanso… Deve ter sido castigo divino por eu tirar um weekend de folga – trabalha, condenada! :-o

Foram quatro dias totalmente improdutivos, e até por isso não mudei meu blog como gostaria. Vou ver se consigo correr atrás do prejuízo até o próximo sábado. Ah, queria agradecer as visitas dos amigos JJ, Tyler, Marcelo e John – os blogs deles estão ali do lado, na seção “Outras Divagações”.

Mudando de assunto, adorei o jogo da Coréia hoje. Além de eliminar a seleção italiana, que nem merecia ter chegado tão longe depois da ridícula demonstração de falta de esportividade contra o México, os coreanos mostraram que têm garra, habilidade e humildade, três qualidades que eu admiro em jogadores de futebol. Espero que eles eliminem a Fúria espanhola, agora!

Só fiquei chateada com a eliminação do Japão, que se tornou minha paixão depois da viagem que fiz para lá no ano passado… pelo menos, agora teremos um mar de torcedores a nosso favor! O povo de lá adora o Brasil, especialmente a nossa seleção.

Momento superstição: sabiam que o Brasil foi campeão todas as vezes em que enfrentou a Inglaterra numa Copa do Mundo? Isso aconteceu em 58, 62 e 70 – em 94, a seleção inglesa não se classificou para o Mundial. Nicole também é cultura! :-)

Mon
17
Jun '02

E começa o sofrimento…


BRASIL!!! Que sufoco! Odeio nossa defesa (especialmente o Lúcio) e adoro o Ronaldinho (o careca). Sorte que os jogadores da Bélgica são beeeeeem ruinzinhos! Ah, e sorte que o Marcos, milagrosamente, estava seguro. Mas o Ricardinho fez falta…

Destaques (na minha humilde opinião):
* Ronaldinho (que mostrou o talento nas poucas vezes em que a bola chegou a seus pés)
* Rivaldo (que, apesar de apagado, decidiu na hora em que precisava)
* Juninho (pela garra, apesar de errar muitos passes)
* Kleberson (que deu um passe fantástico pro Ronaldinho)

Decepções:
* Roberto Carlos (que vinha bem, mas não jogou nada)
* a zaga inteira (precisa dizer por quê?)
* o time da Bélgica (fraquinho, fraquinho…)

Sustos à parte, ganhamos, e é isso que importa. Que venham os ingleses!

Em homenagem ao escrete nacional, um poeminha futebolístico de Paulo Leminski!

mancheteCHUTES DE POETA
NÃO LEVAM PERIGO À META

Sun
16
Jun '02

Viagens marciais


Como eu previa, não pude me conectar noite passada – o último convidado da festa dormiu aqui (meu mano Péuna), e ficamos assistindo a Suécia x Senegal até 5:30hs da matina (aliás, um jogaço!). O Marcelo Saraiva também resistiu e ficou aqui até o final da partida, enquanto nós três tínhamos uma conversa surreal sobre artes marciais (eu pratico Aikido, o Marcelo faz Kung Fu e o Péuna, Karate).

Vou começar a postar textos alheios por aqui, porque ler só o que eu escrevo não deve ter a menor graça para meus pobres (e parcos) visitantes! Mas não se preocupem, tenho bom gosto e vou selecionar coisas legais, ok? :-)